Viajar com miúdos: o que levar?

Perguntam-me imenso sobra a logística para viajar com miúdos: O que levar na mala de viagem? O que levar para os entreter? Como tornar a viagem o mais tranquila possível?

Há quem ache a logística de viajar com crianças pequenas difícil, mas juro que é mais fácil do que parece. Claro que depende das crianças, há umas mais fáceis que outras, claro que depende dos pais, há uns mais descontraídos que outros, e claro que depende daquilo que levam. Quanto mais leve viajam, mais fácil tudo se torna. Viajar de avião não é como uma viagem de carro para o Algarve nas férias grandes , onde vamos enchendo a mala com sacos e saquinhos, mais um casaco para o tempo mais frio, ou uma malha extra não vá a criança sujar-se, mais as bolachas do mais velho, mais os baldes da praia, mais os chapéus que não cabem na mochila. É preciso simplificar e descomplicar, e tentar levar o essencial!

Não vão querer ter duas mochilas para carregar, uma mala para empurrar, um carrinho, sacos e saquinhos enquanto o vosso filho foge para ir ver os aviões. Os pais precisam de mãos livres para os agarrarem! Mãos livres, ou então um carrinho para os manterem seguros!

Se a viagem for 15 dias ou mais nem destino longínquo, a tendência é pensar que precisam de mais coisas ou mais roupa. Mas quanto mais longe viagem, o que à partida vai implicar mais do que um voo o ideal é viajar o mais leve possível. Não se esqueça que carregam as malas até ao check in, e depois de as irem buscar até ao hotel ou sítio onde vão ficar! Se for só um voo directo até ao destino, e forem directos para um hotel ou resort, já com transfer incluído, podem caprichar nas toilettes e kits, porque assim que chegarem ao aeroporto é só despachar a bagagem!Em quase todas as companhias, o máximo de peso por mala é de 23 kilos, mas convém informaram-se junto da companhia aérea porque pode variar. Depois só levam a bagagem de mão para o avião, que tanto pode ser uma mochila, uma mala de senhora ou uma mala de cabine.

Nesta viagem ao Hawai, fizemos três voos até ao destino final! Voo de 7 horas Lisboa- Newark, NY com uma escala de 4 horas no aeroporto, onde tivemos que levantar as malas para despachá-las logo em seguida. Devemos ter estado uns 10 minutos com as malas. Depois outro voo de 5h30 de Newark a Los Angeles, onde chegámos perto das 20h da noite, e donde só partimos às 8h da manhã do dia seguinte. Escolhemos ficar num hotel perto do aeroporto, e nem sequer fomos a LA, onde eu e o Miguel já estivemos, porque o mais importante aqui era descansar. Queremos os miúdos frescos e fofos. Se estiverem cansados, a hipótese de birras aumenta! E ninguém adora uma crianças aos berros no avião. Acontece, claro, mas ninguém adora.

O que faço em viagens longas é ir ajustando os horários à medida que nos aproximámos do destino. Vejamos, saímos de Lisboa às 10h00 e o que faço, sobretudo no caso do Duarte, que ainda só tem dois anos é tentar manter as rotinas dele, mesmo estando num avião. Almocámos já dentro do avião por volta das 11h30, quando foi servida uma refeição. Os miúdos não adoraram a comida, por isso, basicamente comeram pão com manteiga, e umas frutas de pacote que tinha trazido de casa. Logo a seguir, deitei o Dudu e ele adormeceu. Yeah! Agora o miúdo dorme três horas, enquanto nós vemos filmes e acorda todo bem disposto. Podia ter sido assim, mas não aconteceu. Ao fim de 40 minutos acordou e não conseguimos voltar a adormecê-lo. Ficou a ver filmes como o Vasco. Mas claro que passada 1 hora, cheio de sono começou a ficar mais chato e com menos paciência. A 2 horas de chegarmos a NY, teve um ataque de choro inconsolável. Nem Ipad, nem livros de desenhos, nem mochila porta-bébés, nem chucha, nem bolachas, nem biberon. O ideal é manter sempre a calma. Como estavámos na última fila, fomos para a zona da cozinha ficar a pé com ele. Ficou uns 30 minutos aos berros, e depois acabou por adormecer ao meu colo até chegarmos ao destino praticamente! UFA! Primeiro ataque de choro dentro do avião. Não stressem com a possilbilidade de isso acontecer. São crianças, toda a gente sabe que é normal. Não deixem de viajar por isso! 

Depois como fizemos uma escala em Newark de quase 4 horas, e a hora local era 13h30, almoçamos outra vez para nos começarmos a ajustar aos horários. No voo seguinte, NY-LA os miúdos dormiram a viagem toda mas ouvimos dois miúdos a chorar várias vezes duas filas à frente.. Quem manda viajar com crianças?! :)) Em Portugal, já eram 22h da noite quando levantámos voo. Chegamos a LA ao inicio da noite, e este pit stop serviu para descansarmos todos para estarmos frescos à chegada ao Hawaii. E os miúdos querem dormir depois de 5 horas a dormir? Sim, mas é preciso estar preparado para o jetlag. Por acaso, com os miúdos não aconteceu. Fomos directos ao quarto, e fomos buscar qualquer coisa para comer no restaurante do hotel. O Dudu mal viu o berço, pediu para ir lá para dentro e nem jantou, adormeceu directo. O Vasco estava mais excitado, mas jantou, tomou um banho, e fomos todos dormir. Importante evitar Tv e Ipads, e dizer que é de noite, e tentar não dar hipóteses para festas! Trazemos connosco Melamil para o caso de precisarem de ajuda para adormecer. Não foi preciso ainda. Mas já nos aconteceu estarmos os três acordados às 3h da manhã em Singapura e não termos sono nenhum. Estava eu grávida do Duarte, tomámos os três um calmante natural e dormimos até às 13h. Perdemos uma manhã na cidade, mas recuperámos logo do jetlag! 

Enquanto escrevo este artigo, estou no voo que nos vai levar finalmente ao destino: Honolulu. Embarcámos às 8h da manhã, não há TV a bordo, por isso, os miúdos fizeram desenhos e o Dudu brincou com um livro. É importante ter uma alternativa à tecnologia, porque a tecnologia fica sem bateria e depois é uma chatice, principalmente se for a meio de um filme ou um jogo. O Dudu adormeceu 30 minutos depois de levantar voo, e dormiu uma sesta de 2 horas e meia, enquanto o Vasco vê um filme no Ipad.

Sendo assim, que levar?

Claro que o essencial para a minha família não é igual à da vossa, mas há coisas em comum, e partilhar a minha lista pode ajudar a fazer melhor as vossas escolhas, com base na minha experiência. E claro que uma mala de uma viagem ao calor é bastante diferente duma viagem à veve, mas há sempre artigos indispensáveis em qualquer dos casos.

  • Roupa, não exagerar. E depende das crianças óbvio. As mães melhor que ninguém sabem o que precisam. Se a viagem é de 15 dias, levo: umas 12 T-shirts, metade básicas, sobretudo brancas para usarem com os calções de praia, que é o que usam durante o dia, metade para usarem à noite quando formos jantar, uns 4 calções, umas 3 jardineiras, meias e cuecas. Um pijama de verão para cada um, mais dois bodies extra para o Dudu se for preciso. Sapatos, levo dois pares para cada um, uns de praia, mais uma sandálias. Depois na viagem, levam uns ténis brancos que dão com tudo e também podem usar durante as férias. T-shirts Anti-UV e chapéus são essenciais. Dois babetes para refeições,
  • Necessáire dos Miúdos: um gel de banho para corpo e cabelo para os dois, um creme de corpo, os dois de 200ml que assim sei que não vai acabar a meio das férias. Uma escova de cabelo, um spray amaciador, uma colónia, escovas dos dentes, pasta dos dentes e um stick hidratante para a cara.
  • Necessáire da Praia: creme protecção solar 50 para os miúdos, um stick mineral 50, creme 50 ou 30 para nós, um creme rosto 50 para mim, um after sun ( em países quentes sabe mesmo bem), tampões para os ouvidos, spray repelente de insectos, uma água termal.
  • Farmácia: Brufen Xarope, Benuron, ultra-levur,  sais para desidratação, creme de queimaduras, creme de picadas, anti-inflamatórios, anti-histamínicos. Falem com o pediatra sobre o que levar, ou na consulta do viajante se for o caso.
  • Extras: um canga para a praia, uma toalha mini para os miúdos, umas pás minis para a praia ( não que precisem mas ficam contentes), um frasco mini com detergente da roupa, outro com lixívia para as nódoas.

Como organizar a mala de viagem?

Os sacos de arrumação dão imenso jeito para arrumar a mala, e depois também para as desfazer.  Pesquisem por packing cubes ou organizer travel bags no Aliexpress ou pela internet fora. Também se vende no El Corte Inglês, Balvi, Ikea, Primark e Decathlon mas nem sempre tão fácil de encontrar. Organizei um saco para a roupa  do Vasco, outro para a roupa do Duarte, um mais pequeno para os calções de banho, outro mini para as jardineiras, e um saco de pano para as cuecas e meias. Se não tiverem estes sacos, ou não quiserem comprar, organizar a mala por zonas. De um lado, a roupa das crianças, do outro dos adultos!

DICAS RANDOM PARA A MALA:

  • Levar um saco para roupa suja.
  • Quando é necessário levar fraldas, usá-las para forrar as malas! Ou seja, fazer um revestimento a fraldas por cima da roupa.
  • Se levarem duas malas, sejam as duas para despachar ou uma para despachar e outra de cabine, levem nas duas roupas de todos para o caso de uma mala se extraviar. Numa mala está a roupa quase toda dos miúdos e nossa, mas na outra pus uns calções de banho para cada um, duas t-shirt’s, uns calções, dois pares de cuecas. 
  • Adaptador para tomadas, incrível como na era da globalização ainda precisámos disto. Há em muitos sítios tomadas USB, mas aqui no Hawaii é o que nos tem safado!

O que levar connosco no avião?

Eu levo uma mochila, o Miguel leva outra, e o Vasco uma mini! Dantes, levava uma para o Dudu mas desisti porque era mais uma para carregarmos nós. Depois, o carrinho de bébé, uma almofada de viagem mini pra os miúdos e a mochila porta-bébés Manduca. O carrinho que levamos é o Quinny London, que encontrei na 100% Bebé! Há várias hipóteses de carrinhos compactos: nas últimas viagens levamos o Quinny Yezz, mas sentimos necessidade de um carrinho mais resistente e que reclinasse, e que coubessem os dois se for preciso. Podem ler aqui um artigo sobre carrinhos compactos! 

Na minha mochila levo: uma muda de roupa completa para cada um, fraldas, toalhitas, um saco  com snacks para os miúdos e para nós, uma garrafa de àgua reutilizável, uma fralda de pano porque o Dudu gosta de dormir com uma, uma chupeta extra, um cobertor mini, um livro para mim, o meu telemóvel e carteira, um creme, uma àgua termal e uma mini farmácia. Um saco impermeável para a roupa suja, essencial. Levo benuron, um anti-histaminico em gotas para os miúdos, bolinhas homeopáticas, spray para o nariz, gotas para os ouvidos.

O Miguel leva as tecnologias e os documentos de viagem na mochila dele. Na do Vasco, vai o Happy Tab da Chicco, uns phones, dois livros para pintar, lápis de cor. Depois deixo o Vasco escolher dois ou três brinquedos o mais pequenos possíveis. 

DICAS:

  • Vestir os irmãos de igual, não faço só porque acho graça. Se um se perder ou afastar, mais facilmente o associam à nossa família ou temos um modelo para dizer como estava vestido. Cores alegres ou fortes para os vermos à distância. De preferência, os pais também vestirem uma roupa facilmente identificável, e mostrarmos aos miúdos como estamos vestidos.
  • Pulseiras com o nome e o telefone dos pais em cada um. Comprei uma na Babycool em Campo de Ourique, outra na Tiger.
  • Se possível, levar um carrinho que dê para levar dentro da cabine do avião. Se for maior, deixam à porta do avião e quando o avião aterra vão entregar à porta. A vantagem de levar o carrinho connosco é não termos de esperar, se for o caso, e termos a certeza que não o perdemos!
  • Bolachas ou snacks de eles mais gostam podem ser salva-vidas em momentos cruciais!
  • Uma garrafa de água térmica, dá um jeitão nos voos e ao longo da viagem, e evitam plástico a toda a hora. E quando há um bebé a água passa no controle de segurança!

Viajar de avião não é nenhum bicho de 7 cabeças. É mais seguro do que uma viagem de carro, e é muito mais espaçoso. Não precisam de pôr os miúdos nas cadeirinhas, por isso, eles sentem-se mais livres e reclamam menos!

Levem os miúdos a descobrir o Mundo com vocês, se puderem. É das melhores experiências de sempre!

Deixo aqui o link para o vídeo a fazer a mala de viagem!

Love from Hawaii,

Sofia

Seguir:
Share:

2 Comments

  1. Sofia
    18 Outubro 2020 / 08:43

    Descobri o seu blog e adoro!!! Vou ser mamã e tem-me ajudado. Todas as pessoas que eu conheço são muito negativas em relação a viagens e praia com bebés e bastante paternalistas com a minha visão da vida (“ah eu antes de ser mãe… depois vês”). Irrita-me, chateia-me. Obrigado por viver e pensar fora da caixa e ajudar-me a perceber que SIM é possível. Dá-me esperança de que a minha vida em família pode ser aquilo que idealizei e não aquilo que os outros me pintam.

    • Sofia Correia
      Autor
      14 Novembro 2020 / 20:21

      Ai Sofia que bom ler a sua mensagem! Claro que é possível! Desejo-lhe toda a felicidade do mundo! E se quiser siga-me no instagram: Sofia Correia, que agora as viagens estão
      em suspenso! Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *