Viajar grávida, relax and go!

Eu sei que a maioria pode achar uma irresponsabilidade viajar grávida para o outro lado do mundo, mas eu já disse que sou do Team Relax and Go?

dicas-para-viajar-grávida

Na primeira gravidez, viajei grávida de 25 semanas para Londres, mas vá, isso é super normal. Já tinha perguntado à minha médica se podia viajar também nesta gravidez e tinha tido carta verde porque corria tudo bem. Então, antes de fazer a reserva, mandei uma mensagem à minha médica a dizer que ia para Bali e perguntar se achava bem. Ligou-me logo de volta. Bali?!? Pois, Doutora, achou que ia a Paris ou a Badajoz, não era? 😉 Mas lá disse que me deixava, desde que cumprisse as ordens dela: tomar magnésio para não ter contracções, não fazer um voo de 12 horas seguidas, beber muita água, usar meias de descanso, e fazer uns exercícios dentro do avião.. (rodar os pulsos conta?)

Marcámos então a viagem pelo Dubai para não fazer um voo super longo. Fizemos Lisboa- Dubai (7 horas), uma escala de 3 horas, depois Dubai-Singapura mais 7 horas! Ficámos uma noite em Singapura para descansar um bocadinho e passear. No regresso fizemos tudo igual, mas em vez de uma noite ficámos duas em Singapura para conhecer a cidade, e como a escala no Dubai era de 6 horas e a  meio da noite alugámos uma cama num iglo para podermos descansar um bocadinho! O aeroporto do Dubai é um mundo!

Fui de 29 semanas e voltei de quase 32 semanas. Levei um vestido, uns ténis e consegui comprar umas meias de descanso sexys pela coxa para facilitar as constantes idas à casa de banho. Senti-me sempre óptima. E por mim, viajava sempre grávida! É um luxo, acreditem! Nenhum comissário de bordo quer ter que fazer um parto durante um voo, certo? Então, mal entrava no avião, perguntavam-me logo pela autorização para viajar primeiro e o que é eu precisava! Eu respondia logo: espaço! Então quase nunca viajei no meu lugar e tínhamos sempre pelo menos 4 cadeiras seguidas só para nós. Num voo durante a noite, tivemos direito a 2 filas de 4 lugares e pudémos dormir o tempo todo! Até uma maçã verde num tabuleiro de prata tive direito!

Ah e tal e se nascesse em Bali? Houve várias pessoas a dizerem que era louca, e que podia acontecer. Eu sabia que ia correr tudo bem. O meu primeiro filho nasceu às 40 semanas, porque quereria este nascer às 30? Aliás, nasceu às 40 também! Sacanas dos miúdos que não queriam sair! Mas, eu que nunca sou destas coisas achei que devia fazer um seguro de saúde internacional e pesquisar hospitais em Bali. Viram que mãe responsável que eu sou? E o que é eu descobri, depois de várias pesquisas e telefonemas, e quase a pagar o seguro? Que a partir das 25 semanas de gravidez. há uma cláusula ( daquelas das letras pequeninas) que não cobre nada. Ou seja, queres viajar super grávida, óptimo, mas vais por tua conta e risco! Conclusão: não fiz seguro nenhum e poupei quase 100€ para gastar em massagens! (Experts dos seguros: se houver algum que cubra esta condição especial partilhem comigo que há sempre amigas grávidas!)

Claro que com os comentários que fui ouvindo antes de ir, uma noite tive um pesadelo em que o bebé nascia em Bali, acordei em sobressalto a dizer que não queria ir, o Miguel disse: dorme! Nem me deixou falar muito e de manhã a preocupação passou-me! 😉 O truque é não pensar no que pode correr mal!

dicas-para-viajar-gravida-1

Nesta praia da fotografia em cima, Balang, encontrei uma grávida com um filho que tinha a idade do Vasco e senti: Yeah, não estou sozinha! Começámos a conversar, estávamos exatamente com as mesmas semanas de gravidez, eram do Brasil, um viagem bem mais longa, e estavam com vontade de lá ficar a viver. E eu a perguntar: “e as roupas do bebé trouxe? E onde vai fazer o parto?” Ah posso pedir à minha mãe para vir cá, e há uma clinica óptima em Ubud!” Ficaram mesmo lá a viver, têm uma agência de viagens, dois rapazes lindos, e eu não vou esquecer esta descontracção toda! All my love, Flávia! ♥

Foram umas férias incríveis, senti-me maravilhosa, excepto no primeiro dia em Bali ao vestir um bikini em que me senti gorda e desatei num pranto a dizer que tinha sido péssima ideia e que afinal devíamos ter ido para as montanhas. Ahahhha! As hormonas proporcionam momentos incríveis, sobretudo para quem assiste! Fui super mimada pelo marido, fiz massagens óptimas, comi lindamente.. Às vezes não andávamos tanto a pé para não arriscar muito, nem fomos às ilhas Gili de barco mas tivemos uma vidinha óptima durante 3 semanas! Outra das coisas boas de viajar grávida, sobretudo se for para um destino de praia é tirar imensas fotografias e ter imensos registos do barrigão! São daqueles momentos para guardar para sempre!

dicas-para-viajar-grávida-2

dicas-para-viajar-grávida-3

Dicas para Viajar Grávida:

  • Pedir sempre autorização ao vosso/a  obstetra! ( o truque é arranjarem um/a descontraído/a) e seguir as suas indicações!
  • No site da companhia aérea, preencherem a Autorização para Viajar que tem que ser assinado pelo obstetra. Peçam 1 para cada voo, e façam cópias. Podem não deixar embarcar sem esse papel, mas normalmente só a partir das 29 semanas, depende da companhia. Informem-se! 🙂
  • Levar meias de descanso, ténis e roupa confortável!
  • Sempre que possível, usem a prioridade! Dá um jeitão em aeroportos com um barrigão!

 

E por aí quem viajou grávida? Contem-me tudo!

Sofia

 

 

 

Seguir:
Share:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *